quarta-feira, maio 03, 2006

UM OLHAR PELO MUNDO

A INTERNACIONAL SEPARATISTA

Por Edgar Granata*

Com a eclosão da independência dos Estados Unidos em 1776, a Revolução Francesa em 1789, a Declaração Universal dos Direitos do Homem também em 1789, a República Rio-Grandense em 1835, o desmoronamento dos grandes impérios e, passando pela Liga das Nações até a criação da ONU em 1945, no mundo já existia POUCO mais de meia centena de nações. Hoje já são mais de duas centenas desde os primórdios da Idade Contemporânea. Esse crescendo de nações não para e não pode parar. Cada povo consciente procura de uma forma ou outra a sua liberdade total através da separação.

A luta separatista Sulista vem de longa data, não é de hoje, só que agora essa luta é científica, principalmente baseada na sociologia e na ciência política. A vontade inerente da liberdade da Nação Sul-Brasileira é tão forte, que nenhum poder sobre a terra irá truncar sua marcha, pois qualquer poder, menos dia, mais dia, irá render-se ao inabalável sentimento da vontade separatista.

O vírus da liberdade está presente em todo o mundo, até mesmo no outro lado da cortina de ferro. Afora os paises que obtiveram a independência banhados em sangue, outros povos, corno o nosso, agora, buscam primeiro a via democrática e civilizada na incessante luta separatista através dos meios legais existentes.

Os Bascos, na Espanha. A Lituânia, a Letônia, a Estônia, Geórgia e outros, na União Soviética. A Califórnia, a Flórida e o Texas, nos Estados Unidos. Quebéc, no Canadá. A Eslovênia, a Croácia, a Macedônia e a Sérvia, na Iugoslávia. Os Tchecos e os Eslavos, naquilo que foi Tchecoslováquia. A Manchúria, na china. A Sicília e a Sardenha, a Padânia, na Itália. E nós, gaúchos, ainda no Brasil. E por ai vai, todos na luta separatista. Em todos os continentes.

É ou não é a internacional separatista?Um ex-presidente do Brasil, ainda no exercido do mais aIto cargo nacional, discursando para incautos brasileiros do Nordeste, ainda dependentes, justificou seu machismo usando um palavreado de bordel.

Ora, quem deveria ouvir tais justificativas era a sua mulher e não o povo. Se, ele ousasse usar esse linguajar indecoroso aqui em solo gaúcho, certamente sairia daqui com o seu “roxo” muito mais colorido. E ainda houve jornais que se aproveitaram da verdadeira desgraça do povo para enriquecer a mídia, fazendo propaganda do repertório “roxo” e vazio.Afinal, devemos continuar agüentando tudo isso, ou devemos continuar na luta separatista? Todo os povo civilizado e alerta de suas potencialidades está fazendo, mundo a fora, sua marca separatista. Não podemos perder o bonde da história.

E ainda há quem diga que a idéia é esfarrapada. Ora, idéia esfarrapada é o conluio dos lacaios da ditadura. Esfarrapada é a atitude dos testas-de-ferro da falsa democracia. Esfarrapada é a situação dos escravos (e pelegos) da cínica liberdade de imprensa.

Políticos safados nortistas e principalmente nordestinos dizem, em alto e bom som, que os sulistas trabalham, mas eles (os safados) recebem o dinheiro e ainda mandam na política.

* O autor é Advogado em Porto Alegre

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial