segunda-feira, maio 08, 2006

MOVIMENTO EM SANTA CATARINA:

LUZERNA TEM UMA GUERREIRA FIRME NA CAUSA
As pesquisas de opinião que pretendem medir o nível de aceitação da população Sulista aos ideais do Movimento O Sul é o Meu País, sempre indicaram que é no interior do estado que possuimos maior adesão. E não é diferente na pequena Luzerna, no Vale do Rio do Peixe em Santa Catarina, onde o movimento já se faz presente. A cidade foi fundada pelo engenheiro alemão Henrique Hacker e sua esposa Sofia, que, em viagem de trem pela região, em 1915, impressionaram-se com a exuberância do Vale do Rio do Peixe e decidiram iniciar ali uma colonização particular, tipicamente germânica. Adquiriram uma área de terra de 40.000ha e, juntamente com Augusto Scherer, constituíram a Sociedade Sul Brasileira Henrique Hacker & Cia. A área foi dividida em 900 lotes de 24,2ha e, em 1916, chegaram os primeiros colonizadores, vindos do Rio Grande do Sul via estrada-de-ferro, principalmente de São Leopoldo, Montenegro, Santa Cruz, Lageado, Pelotas, Carazinho e Passo Fundo.

Vitor Felipe Rauen foi o primeiro diretor da colônia, cuja população girava em torno de 3.000 pessoas, 75% das quais eram alemães ou descendentes. Em 1934, chegou uma leva de imigrantes do Tirol austríaco. Os novos colonizadores fixaram-se no distrito de Ibicaré, onde fundaram Treze Tílias. Os irmãos Francisco e Rudolf Lindner foram para Joaçaba e deram decisivo impulso à industrialização da cidade e de Bom Retiro, que teve o nome alterado para Luzerna em abril de 1946 – o nome Luzerna relaciona-se com um tipo de alfafa, cultura muito difundida e lucrativa na época. A cidade tornou-se distrito de Joaçaba em 16 de fevereiro de 1949 e emancipou-se em 29 de dezembro de 1995. Hoje, com uma população de 5.572 habitantes, as principais atividades econômicas do município são o comércio, indústria e prestação de serviços.

O Movimento O Sul é o Meu País chegou a Luzerna nos anos 90. Porém, depois de ser fundada a comissão municipal e na época o dirigente local se ausentar do país, a instituição não foi abraçada pelos demais e ficou parada até janeiro deste ano. No dia 17 de janeiro, sob a coordenação de uma jovem guerreira Isabela Toscan Mitterer (foto), é fundada a nossa comunidade de divulgação da idéia em Luzerna. Com apenas 17 anos e cursandoo terceirão, Isabela não acreditava no inicio que a idéia tinha tantos adeptos na cidade, porém com o passar do tempo, viu que as pessoas se interessam pelo assunto e querem debater mais a questão. Segundo Isabela, os motivos que a levam a crer na idéia "é o amor por esta terra, o sentimento de união sempre presente, as minhas raízes aqui plantadas e a certeza de que jamais amaria tanto um outro lugar"...

Ela conta que encontrou as idéias do movimento quando viu a comunidade de um município vizinho. "Desde então conheci o Celso e suas idéias, e ele me convidou a criar a comunidade da minha cidade e embora não contasse que teria tantos participantes por ser cidade pequena resolvi ajudar, mas deixei claro que não me envolveria com fanatismos, apenas estava ajudando", diz ela. E confessa, "me surpreendi quando vi que já temos 66 participantes... não conhecia o movimento antes por estar afastado da mídia e por nunca ter ouvido a respeito... desde que criei a comunidade que participo das discussões", conta Isabela. Perguntada sobre por que acredita na idéia, ela é taxativa: "acredito que quando há fundamento numa causa, ela vale a pena". "A luta pelo desenvolvimento do Sul é uma luta justa pela qual acredito que haja motivos reais e uma base sólida... temos que fazer valer a pena", finaliza.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial